Tecnologia na contabilidade: como implementar o uso do analytics?
×
A contabilidade muda. Por aqui, você acompanha.

Receba novidades sobre contabilidade no seu e-mail:

Ao enviar seus dados, você reconhece que leu e entendeu nossa declaração de privacidade. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. FECHAR
contabilidade gerencial

Tecnologia na contabilidade: como implementar o uso do analytics?

17 setembro 2021 SALVAR
Pressione Ctrl + D para adicionar esta página aos favoritos.

As empresas são “ricas em dados e pobres em informações”. A observação, feita pelo escritor e consultor de negócios, Robert Waterman, no livro In Search of Excellence, há 35 anos, permanece atual. De lá para cá, pouca coisa mudou. Com certeza as empresas são “mais ricas em dados”, tendo um volume exponencialmente maior à sua disposição. Contudo, ainda são pobres em informações, mesmo com os líderes implementando uma ampla gama de programas voltados para a exploração de dados. 

A maioria ainda luta para incorporar dados em suas estratégias e saber como explorá-los atendendo às necessidades dos negócios. Há uma série de razões que impedem esse avanço: desde a falta de talento até expectativas irracionais e culturais. Resolver esses problemas é essencial para aqueles que desejam usar o poder dos dados em suas organizações.

E você: sabe até onde e como a inteligência de dados pode impactar positivamente nos negócios? O uso de recursos como Big Data, Analytics e inteligência artificial tende a potencializar os resultados da contabilidade gerencial, agregando valor para os clientes.

Quer saber por onde começar a explorar os dados? Entenda como a tecnologia na contabilidade pode transformar o seu escritório na prática.

Continue lendo o artigo!

Por que os dados são tão importantes?

À medida que o mundo se torna mais e mais inteligente, os dados se confirmam como a chave para a vantagem competitiva. Empresas de todos os setores, inclusive escritórios contábeis, podem aproveitar os dados, aplicar análises e implementar novas tecnologias. E os ganhos de investir em ferramentas disruptivas nos processos da contabilidade gerencial são muitos. 

Na verdade, o International Institute for Analytics estimava que, até 2020, as empresas que usam dados veriam US $ 430 bilhões em benefícios de produtividade em relação aos concorrentes que não estão usando dados.

Portanto, está claro que os dados são agora um ativo comercial importante e estão revolucionando a forma como as empresas operam, na maioria dos setores e indústrias. Com efeito, toda empresa, independentemente do tamanho, precisa aprender a explorar o Big Data e construir uma estratégia de dados robusta.

Como tornar o uso dos dados/analytics fundamental para os negócios

A maneira como as organizações realmente veem seus ativos de dados está mudando. Os profissionais usam essa base todos os dias, mesmo que não confiem totalmente nela. Muitos acham as estatísticas básicas confusas. As pessoas estão orgulhosas de suas capacidades de tomada de decisão e veem pouca necessidade de melhores análises ou IA. 

Muitos profissionais recuam ao pensar em algum tipo de supervisão central em seus dados, mas ficam surpresos quando um problema de dados cria um risco imprevisto. Embora saibam que privacidade e segurança são importantes, ninguém nunca deixou suas responsabilidades explícitas. E eles percebem que se tornar uma organização orientada por dados envolve adaptar sua cultura, o que é difícil e demorado. 

Neste contexto, não é de se admirar que os dados ainda estejam longe do mainstream da estratégia de negócios na prática.

O fato é que, embora a gestão de dados do negócio seja complexa, essa estratégia traz muitos benefícios para a rotina do contator e otimiza os processos da contabilidade gerencial. Não faltam grandes oportunidades e demandas, desde análises e inteligência artificial até qualidade de dados, monetização, privacidade, pequenos dados e segurança. 

Ainda assim, a maioria do trabalho de dados é do tipo manter as luzes acesas, como adicionar novos campos aos bancos de dados, alinhar sistemas que não falam, definir metadados, implementar governança de baixo nível e sistemas de inteligência de negócios, organizar dados para alimentar algoritmos de aprendizado de máquina e assim por diante. 

O fato é que o Big Data permite ir muito além da função de acender as luzes. Contudo, é importante que o escritório contábil tenha acesso às habilidades, ferramentas e conexões de negócios necessárias para viabilizar o uso do Big Data. Sem elas, as atividades de dados são de nível muito baixo, de curto prazo e mal conectadas à estratégia de negócios.

Mas, quando integrados de maneira adequada, a gestão de dados pode acelerar muitas – até mesmo a maioria – das estratégias de negócios, melhorando os processos e capacitando as pessoas certas para executá-los. 

Tecnologia na contabilidade: a gestão de dados começa com estratégia e o conjunto certo de investimentos 

Ter uma estratégia de dados clara é absolutamente vital quando você considera o grande volume de dados que está disponível atualmente. Muitas empresas ficam tão animadas com o Big Data que coletam o máximo de dados possível, sem realmente considerar o que desejam fazer com todo esse volume de dados. Enquanto isso, outros contadores ficam tão confusos com as novas opções da tecnologia na contabilidade que preferem ignorá-las. Nenhum dos dois representa uma maneira inteligente de conduzir a contabilidade gerencial.

Em vez de começar com os próprios dados, todo negócio deve começar com uma boa estratégia. Nesse estágio, não importa quais dados existem, quais seu escritório já está coletando ou ainda quais dados seus concorrentes estão processando. 

Uma boa estratégia de dados não é sobre quais dados estão prontamente ou potencialmente disponíveis, mas, sim, sobre o que sua empresa deseja alcançar e como os dados podem ajudá-lo a chegar lá.

Portanto, se os contadores desejam evitar o afogamento em dados, eles precisam desenvolver uma estratégia inteligente que se concentre nos dados de que realmente precisam para atingir seus objetivos. 

Para serem realmente úteis, os dados devem atender a uma necessidade comercial específica, ajudar a organização a atingir seus objetivos estratégicos e gerar valor real. Isso significa que você precisa definir os principais desafios e questões críticas de negócios a serem respondidos e, em seguida, coletar e analisar os dados que o ajudarão a enfrentá-los.

A verdade é que todo negócio precisa de um plano de dados para toda a empresa. Na contabilidade gerencial, o desafio é ainda maior, já que o contador do futuro e seu time precisam compreender como explorar os dados para oferecer suporte aos objetivos de negócios de cada cliente. 

Infelizmente, ainda existe uma percepção generalizada entre os executivos de negócios de que dados e análises são uma questão exclusiva do setor de tecnologia da informação (TI). Contudo, essa é uma visão equivocada que limita e dificulta o acesso a resultados potencializados pelo Big Data.

Geralmente, as estratégias de dados conduzidas pela equipe de TI tendem a se concentrar no armazenamento, propriedade e integridade de dados, em vez de abordar os objetivos estratégicos de longo prazo da empresa. É por isso que a estratégia de dados deve ser propriedade e prioridade do contador do futuro, responsável pela gestão do escritório contábil.

Vale destacar que nenhum tipo de dado é inerentemente melhor do que qualquer outro. Usar dados estrategicamente significa encontrar os melhores dados para sua empresa, e isso pode ser muito diferente do que é melhor para outra organização. Com tantos dados disponíveis atualmente, o truque é se concentrar em encontrar os dados exatos e específicos que irão beneficiar melhor o seu negócio.

Gestão de dados: por onde começar na contabilidade gerencial?

Para criar uma estratégia robusta de dados e análise, os líderes de negócios precisam considerar muitos fatores. A seguir, listamos os pontos críticos que o contador do futuro deve incluir em uma estratégia de dados robusta:

Quais são suas necessidades de dados?

Para encontrar os dados certos para você, primeiro você deve definir como deseja usá-los. Possivelmente, você precisará de tipos de dados específicos para alguns objetivos e diferentes dados para outros.

Como obter e coletar os dados 

Depois de identificar o que você pretende alcançar com os dados, é preciso pensar sobre a origem e a coleta dos melhores dados para atender a essas necessidades. Existem muitas maneiras de obter e coletar dados, incluindo acesso ou compra de dados externos, usando dados internos e implementando novos métodos de coleta.

Como esses dados serão transformados em insights 

Como parte de qualquer estratégia de dados sólida, você precisa planejar como aplicará análises aos seus dados para extrair insights críticos de negócios que podem informar a tomada de decisão, melhorar as operações e gerar valor.

Requisitos de infraestrutura de tecnologia

A próxima etapa na criação de uma estratégia de dados robusta é considerar as implicações de tecnologia e infraestrutura para viabilizar as atividades planejadas até aqui. Especificamente, isso significa escolher o software ou hardware responsável por coletar os dados, permitindo a análise e a transformação em insights.

Competências de dados dentro da organização

Para obter o máximo dos dados, é essencial cultivar certas habilidades. Existem dois caminhos possíveis para o desenvolvimento de competências relacionadas a dados em sua organização: capacitar e treinar seu time interno e/ou terceirizar a análise de dados.

Governança de dados 

A coleta e armazenamento de dados, especialmente os pessoais, traz sérias obrigações legais e regulatórias. Portanto, é vital que qualquer organização considere aspectos como a propriedade, privacidade e segurança em sua estratégia de dados. Ignorar esses problemas, ou deixar de solucioná-los adequadamente, pode fazer com que os dados passem de um grande ativo para um grande passivo.

Vale destacar que, no atual contexto, gerenciar os dados pessoais tendo como norte as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é essencial. A conformidade garante que a tecnologia na contabilidade será uma facilitadora dos processos internos, e não uma fonte de problemas, multas e prejuízos.

Nos negócios, informação é poder, e Big Data está fornecendo informações que não poderíamos ter sonhado em coletar ou analisar apenas alguns anos atrás. Com o enorme crescimento do Big Data, além dos métodos de rápida evolução para análise de dados, a importância dos dados em todos os aspectos dos negócios só aumentará. As empresas que veem os dados como um ativo estratégico e desenvolvem estratégias robustas de dados e análises são as que terão sucesso neste novo mundo movido a dados.

Tecnologia na contabilidade como aliada da contabilidade gerencial 

Big data e analytics subiram ao topo da agenda corporativa. Juntos, eles prometem transformar a maneira como as empresas fazem negócios, proporcionando uma série de ganhos. E, à medida que as estratégias baseadas em dados se consolidam, elas se tornarão um ponto cada vez mais importante de diferenciação competitiva.

De acordo com artigo da McKinsey, a exploração total de dados e análises requer três recursos de suporte mútuo:

  1. As empresas devem ser capazes de identificar, combinar e gerenciar várias fontes de dados; 
  2. As companhias precisam ter a capacidade de construir modelos analíticos avançados para prever e otimizar resultados; 
  3. A administração deve possuir músculos para transformar a organização de forma que os dados e modelos realmente produzam melhores decisões. 

Na prática, duas abordagens são importantes para viabilizar a gestão de dados: uma estratégia clara de como usar dados e análises para competir e a implantação da arquitetura e dos recursos de tecnologia certos.

Neste sentido, cabe ao contador do futuro buscar as melhores soluções para simplificar e otimizar a gestão de dados. Investir em um software de gestão contábil é o primeiro passo para garantir a coleta, o processamento e a geração de relatórios com insights sobre a realidade de cada cliente.

Afinal, o sucesso da contabilidade depende, essencialmente, do uso de dados validados que realmente traduzem a realidade dos negócios.

A Thomson Reuters conhece de perto os desafios atuais do contador do futuro e, por isso, desenvolve soluções de ponta que visam facilitar a jornada de transformação digital dos escritórios contábeis.

Com tecnologia na contabilidade, os sistemas apoiam e garantem precisão e integração de dados da área contábil fiscal, viabilizando o uso de novas ferramentas disruptivas, como Big Data, Analytics e Inteligência Artificial.
Quer entender como nossos sistemas podem otimizar o uso dos dados e a contabilidade gerencial? Conheça outros conteúdos das Soluções Domínio da Thomson Reuters e entenda por que somos a melhor parceira para a contabilidade do futuro.

Nossa Declaração de Privacidade e Política de Cookies

Todos os sites da Thomson Reuters usam cookies para melhorar sua experiência on-line. Eles foram colocados no seu computador quando você acessou este site. Você pode alterar suas configurações de cookie através do seu navegador.