Entenda as mudanças do reembolso do salário-família e maternidade na DCTFWeb
×
A contabilidade muda. Por aqui, você acompanha.

Receba novidades sobre contabilidade no seu e-mail:

Ao enviar seus dados, você reconhece que leu e entendeu nossa declaração de privacidade. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. FECHAR
Contabilidade

Entenda as mudanças do reembolso do salário-família e maternidade na DCTFWeb

13 janeiro 2022 SALVAR
Pressione Ctrl + D para adicionar esta página aos favoritos.

Quem tem o costume de lidar com processos fiscais e tributários sabe o quanto eles podem ser demorados. O que dizer então do reembolso do salário-família e maternidade? 

O processo, que consistia em baixar o programa do SEFIP (Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS) dentro da GFIP (Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social), mudou há pouco tempo com a entrada em vigor da DCTFWeb.

Quer entender melhor sobre essas transformações? Então não deixe de continuar a ler o post!

Como era o reembolso do salário-família e maternidade no SEFIP

Pedir o reembolso era um processo demorado, sendo que muitos escritórios contábeis esperavam até anos para dar a boa notícia para as empresas clientes. Para o salário-família, o valor deveria ser informado dentro do mês referido na GFIP. 

Segundo o Manual do SEFIP, versão 8.4, item 2.9, Capítulo III se a empresa não realizar a dedução durante o período (ou se tiver um saldo remanescente), ele poderá ser compensado nas competências seguintes.

Já o salário-maternidade precisava ser informado no SEFIP na seção Dedução- Salário Maternidade. Se houvesse saldo era possível compensar nos meses seguintes ou pedir reembolso.  

A evolução dos processos na Receita Federal

O eSocial, por exemplo, é uma plataforma complexa. Principalmente para os profissionais que têm menos experiência, é fácil cometer erros que geram dor de cabeça, retrabalho e prejuízos com multas.

A boa notícia é que em julho de 2021 entrou em vigor a implantação dos novos módulos web, com um layout que simplificou a navegação e facilitou as entregas contábeis. Assim, você pode melhorar também a qualidade do atendimento e do serviço prestado aos clientes.

Outro processo que evoluiu foi a GFIP. Agora não é mais necessário utilizar o SEFIP, que foi substituído pela DCTFWeb (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos). Ativa desde março de 2021, ela foi instituída pela Instrução Normativa RFB n° 2005, de 29 de janeiro de 2021.

O principal objetivo deste tipo de declaração é relatar à Receita Federal as contribuições previdenciárias existentes da empresa. Além disso, com o DCTFWeb também é possível integrar informações prestadas no eSocial e na EFD-Reinf em um só local. 

O envio do documento é mensal, sendo feito até o 15° dia útil do mês seguinte à ocorrência dos fatos geradores.

Salário-família no eSocial e DCTFWeb

O primeiro passo é informar, no cadastro (S-2200/ S-2300) se o trabalhador recebe salário-família. A DCTFWeb vincula, de maneira automática, o salário-família do mês. 

A grande diferença é que não é mais possível compensar o valor nas competências seguintes. Se houver saldo, só será possível pedir reembolso – o mesmo vale se a empresa não realizar a dedução do salário-família no mês.

No caso de necessidade de reembolso, o processo poderá ser feito com a utilização do programa PER/DCOMP. Se não houver a possibilidade da sua utilização, a saída é preencher o formulário disponível no Anexo III da IN RFB nº 1.717/17

Mais uma novidade é que a organização poderá deduzir o valor das contribuições destinadas aos terceiros. É o que diz o art. 87-A da mesma Instrução Normativa.

Salário-maternidade no eSocial e DCTFWeb

Já quando o assunto é salário-maternidade, a primeira etapa é informar o início do afastamento da gestante. O evento é o S-2230 com o código 17 (Licença Maternidade). Como no salário-família, a vinculação à DCTFWeb será automática. Mas é possível realizar o ajuste manualmente também.

As regras sobre dedução, compensação e reembolso são as mesmas do salário-família, sendo regidas pelos §§ 2º e 3º do art. 62-A da IN RFB nº 1.717/17. 

A mesma regra da utilização do programa PER/DCOMP também vale no caso de reembolso para o salário-maternidade.

A promessa da informação tanto do salário-família como do maternidade pela DCTFWeb é diminuir o tempo de reembolso dos valores às empresas. E, segundo Edison Garcia Jr., advogado empresarial, tributário e apresentador do Minuto do Contador das Soluções Domínio da Thomson Reuters, muitos escritórios contábeis têm recebido os valores em menos de um mês. Uma diferença e tanto!

Que tal conhecer, em primeira mão, outras informações contábeis importantes? Não deixe de assistir o Minuto do Contador, que traz informações importantes para os profissionais contábeis.

Nossa Declaração de Privacidade e Política de Cookies

Todos os sites da Thomson Reuters usam cookies para melhorar sua experiência on-line. Eles foram colocados no seu computador quando você acessou este site. Você pode alterar suas configurações de cookie através do seu navegador.