×
A contabilidade muda. Por aqui, você acompanha.

Receba novidades sobre contabilidade no seu e-mail:

Ao enviar seus dados, você reconhece que leu e entendeu nossa declaração de privacidade. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento. FECHAR
Contador do futuro precisa se preparar 148544276
Futuro da Contabilidade

Você está pronto para ser contador de empresas SaaS?

Adriano Ferreira
31 October 2019 SALVAR
Pressione Ctrl + D para adicionar esta página aos favoritos.

Hoje, diante da transformação digital e das novas exigências dos clientes, o contador que deseja manter-se em destaque no mercado deve compreender também as variáveis de cada negócio. Na contabilidade do futuro (que já começou), dominar as rotinas de apuração de impostos e obrigações fiscais não é mais suficiente.

O contador precisa conhecer profundamente a área em que a organização atua. 

Varejo e Logística, por exemplo, são setores que os escritórios têm mais facilidade de compreender a estrutura e os processos. Mas e quando se trata de empresas de tecnologia, mais especificamente das startups que trabalham com SaaS (Software as a Service)?

O desafio, certamente, é bem maior!

Afinal, como se preparar para atender empresas novas, que estão surgindo em um cenário de disrupção? E o que é preciso saber para atender clientes do segmento? Descubra neste artigo!

A seguir, você confere um dicionário com alguns dos termos mais usados pelas startups que trabalham com SaaS. Saber o significado de cada um deles é um primeiro passo importante. 

Angel

Um angel (anjo) é um investidor que aposta em grandes ideias que ainda não foram estruturadas em negócios. Em muitos casos, o angel só conhece a proposta no papel e, mesmo assim, decide apostar nela. 

Para este tipo de investidor essa é uma aplicação financeira de alto risco, que vale a pena porque tem potencial para trazer ganhos inimagináveis. 

O Angel Round é o momento em que o anjo repassa o total dos recursos captados para a startup.

Cap table

Trata-se do documento – planilha ou tabela – que apresenta a participação acionária em uma startup ou empreendimento ainda no estágio inicial. 

Na prática, uma tabela de capitalização deve conter o registro de todos os principais accionistas de uma empresa, indicando também:

  • a propriedade pró-rata de todos os títulos emitidos pela empresa (ações preferenciais e opções);
  • os preços pagos pelos interessados nestes valores mobiliários.

Esse, sem dúvida, é um dos documentos que podem facilitar o trabalho do contador. Mais uma ferramenta para a contabilidade do futuro.

Crowdfunding

É uma maneira de arrecadar recursos para um projeto ou empreendimento usando o financiamento coletivo. Para viabilizar esse tipo de captação, as empresas e pessoas inscrevem suas propostas em plataformas on-line especializadas, criando uma campanha de crowdfunding.  

A partir daí, os usuários que acreditam na ideia – sejam empreendedores, sejam pessoas físicas – podem fazer sua contribuição e, muitas vezes, usufruir de recompensas, recebendo um produto da marca ou mesmo o acesso ao serviço por um tempo.

Benfeitoria, Catarse, Juntos.com.vc, Kickante e Social Beers são algumas das plataformas de crowdfunding.

Due Diligence 

É um processo de avaliação da startup. Na maioria das vezes, a Due Diligence é realizada para verificar aspectos centrais, como possíveis irregularidades, a aderência ao business plan apresentado e o atendimento aos itens constantes no business model. 

Em outras palavras, é o momento em que os anjos investidores promovem uma auditoria nos principais setores da startup. Para a contabilidade do futuro esse é um processo muito importante, que permite a identificação de falhas e a correção em tempo.

Empreendedorismo Social

Embora a transformação digital oriente os negócios para o amplo uso da tecnologia, a sustentabilidade também é uma diretriz importante para os novos negócios.

Tanto é verdade que o empreendedorismo social, isento de fins lucrativos, mas em prol de causas sociais e/ou ambientais, se destaca cada vez mais. Ele é uma estratégia sustentável usada por empreendedores que visam impactar pessoas e mobilizar causas com potencial de transformar a sociedade.

Exit

Para muitos empreendedores, esse é um dos momentos mais esperados. Isso porque quando a startup atinge um ponto de maturidade no mercado e os fundadores a têm a opção de vendê-la. 

Ou seja, é o exit, a saída da startup. O processo, além do retorno financeiro aos investidores e proprietários, permite o crescimento e o alcance de novos mercados.

O exit pode acontecer de três maneiras principais. São elas:

Venda para outra empresa: que assume a startup e pode seguir por vários caminhos diferentes, desde incorporar o produto/serviço à estrutura da companhia até transferir a equipe para outras áreas;

Venda da participação: do empreendedor para outros fundos de Venture Capital. 

Abertura de capital da empresa: também conhecida como IPO, é o tipo de oferta em que as ações são vendidas em uma bolsa de valores.

Freemium

Derivada da união dos termos free + premium, a palavra define um modelo de aquisição de produto ou serviço dividido em dois níveis.

Primeiro, o potencial cliente tem acesso à versão gratuita, com funcionalidades limitadas. Depois, se quiser  pagar pelo serviço ou produto, ele tem acesso a uma versão premium, mais completa, com todos os recursos disponíveis.

Para empresas e startups que trabalham com produtos SaaS, essa é uma estratégia inteligente e amplamente adotada. Afinal, permite que o usuário crie uma percepção em relação ao produto, facilitando a tomada de decisão de compra. 

Lean startup

Desenvolvido por Eric Ries, em seu livro “Startup Enxuta”, o conceito de lean startup propõe uma gestão mais eficaz dos recursos disponíveis, sendo especialmente indicado para startups que desejam lançar novos produtos ou serviços.

  • É usado por empresas que desenvolvem soluções SaaS porque permite: Criar uma solução de valor para seu cliente, usando o diagrama Canvas;
  • Testar suas hipóteses por meio do customer development, desenvolvimento de clientes;
  • Adotar a metodologia ágil e desenvolver o produto de forma iterativa e incremental, com a participação do cliente. 

Seguindo essa estrutura, o lean startup permite errar, aprender e crescer rápido.

Love Money

Além do investidor anjo e das plataformas de crowdfunding, outra maneira de captar recursos financeiros para viabilizar a construção de um empreendimento é buscar o apoio com fontes mais íntimas, tais como cônjuges, amigos e familiares.

Assim, quando o empreendedor conquista investimento de pessoas próximas a ele, o recurso captado recebe o título de love money.

Seed Money

Também conhecido como “capital semente”, o seed money representa a primeira camada de investimento captado pela empresa, portanto, acima do investidor anjo. 

Essa é a modalidade de acionada por empreendedores que estão em fase embrionária, ou seja, quando eles têm uma ideia, mas precisam de recursos para construir seu plano de negócios e dar início à pesquisa e ao desenvolvimento de produtos, processos ou serviços.
Deseja saber mais sobre transformação digital e a contabilidade do futuro? Continue acompanhando o blog da Domínio!

Nossa Declaração de Privacidade e Política de Cookies

Todos os sites da Thomson Reuters usam cookies para melhorar sua experiência on-line. Eles foram colocados no seu computador quando você acessou este site. Você pode alterar suas configurações de cookie através do seu navegador.